domingo, 1 de março de 2015

Diário dos Sonhos 018 : A maga Rose

  Num sonho estranho, havia Rose. Uma maga muito poderosa, admiradora Zero, com um sabre de luz e feitiços capazes de detonar exércitos inteiros. Podia fazer de tudo, como uma divindade pagã. Em um dia, acorda e descobre que seus velhos poderes não funcionam e é mandada para um lugar com pobreza extrema junto com ratos e lixo tóxico.O lugar era devastado, sujo e pobre. Destruído pela tradição do ódio. E lá ela estava...Acorda com seu amor perto, ambos muito confusos com tudo que aconteceu.

-Há algo de errado? - Diz João
- Não- Diz Rose
- É alguma coisa com seu fígado?
- Não?!

  De longe uma família grande precisa de assistência. Uma mulher de uns 40 anos, cabelo seco, mãos  pés desgastados pelo trabalho excessivo.

-Vocês jovens podem nos ajudar em algo? - Disse a senhora
- Claro, e você tem um lugar para ficarmos? - Disse Rose
- Com certeza, temos alguns colchões sobrando.
- O que precisamos fazer ? - Disse Rose
- Achamos umas tábuas e outras tranqueiras, ai gostaríamos de fazer mesinhas para nossos gtoêmeos, como é o aniversário deles.Meu marido vai trabalhar e não vai dar tempo de fazer.
- Tudo bem..-Disse Rose

  Haviam restos de madeiras de móveis jogados fora, cadeiras de carros  e etc. A própria Rose via uma mesas e cadeiras ali. A cadeirinha verde de um carro era perfeita depois de uma lavada, porém havia apenas uma naquela pilha de lixo. O lugar todo era considerado "o deposito de coisas que não se quer mais", o fim do mundo, onde a bela cidade perdia sua reputação.
  Eles andam um pouco apenas e há uma dessas cadeiras presa num poste. Conseguem pedir ajuda para um pintor ou algo assim, usando uma grande mangueira de água que acerta o alvo com precisão.. "A comunidade é muito unida." Pensou Rose.
  Quando voltam com a cadeira a senhora começa a desabafar...

- É justo eu demorar 10 anos para conseguir entrar na Panaméia( Uma favela perto de um bairro bom) ? Sabe, passamos boa parte da vida tentando arrumar um lugar melhor para morar...

 Rose lembrava de sua mãe, que provavelmente usou a igreja como forma de achar um lugar para morar, O velho networking...



E então o sonho acaba...

Nenhum comentário:

Postar um comentário