quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Clara - Miragem no espelho

PS : É uma continuação da outra história da Clara.

 

  O hospício não é um lugar ruim. No começo, tentei matar alguns enfermeiros, medicos, tentei fugir, molestei algumas pessoas, machuquei outras e consegui cortar um medico. Me isolaram e me drogavam, falava com os psico e psiqui. Diziam que o meu caso era excepcional, merecia estudo. Sei bem desse estudo......
   Havia engravidado, minha barriga havia crescido levemente e sentia as tonturas e etc. Não queria o bebê, eu pedia aborto e ninguém fazia. Tentei uma vez com uma faca, me abrir e tirar aquilo de mim. Consegui fazer um corte, só que uma enfermeiro viu e tomou a faca de mim. Só me restava o parto normal. Já tinha ouvido falar de fisting numa aula tosca sobre sexualidade, que é, numa linguagem cordial dos piratas, por o braço todo no cu ou na buceta ou em ambos. Resolvi fazer... Comecei o plano roubando manteiga pra lubrificar, um taco de baseball pra alagar e uma luva dos enfermeiros. Foi fácil pegar tudo, não demorou uma semana sequer. Numa noite, comecei a me tocar, já com a luva e a manteiga, relaxando e aproveitando isso tudo. Sorria pra não suspirar. Lá estava de pernas abertas. Fui lentamente colocando, dedo por dedo, até que o punho conseguiu entrar. O prazer foi imenso, quase tive um orgasmo. Bom, precisava focar no meu auto aborto e preciso ser humana, tirar ele e o matar. Ponho o taco, que foi abrindo o caminho trazendo dor e muito prazer. Não fui fundo, quero-o vivo. Novamente pus o pulso, facilmente dessa vez, fui aprofundando cada vez mais, mais e mais, num momento sinto um corpo. Puxo com cuidado e lentamente o tiro de mim. Um ser que parece um alien todo ensanguentado com um cordão me ligando à ele. Humanos são nojentos.......Levanto e o jogo na parede, morto como um africano qualquer com aids. Como retiraram coisas afiadas do meu quarto-cela não pude cortar o cordão umbilical. Fiquei cheia de sangue pela região da vagina. Resolvi terminar minha masturbação e dormir. Gozei e dormi...No outro dia acordei aos gritos de uma enfermeira que acidentalmente deixou minha cela aberta. Fugi arrastando o feto morto. Soaram o alarma e segurança surgiram por todo lado. Alcancei um banheiro onde havia um rapaz negro de óculos. Pus o cordão em volta de seu pescoço e o fiz de refém :

- Bom ficar quieto- Digo eu- Ou vai morrer de uma forma estranha........
- Arrrgh, não me mata, eu tenho alguém......
- Não me importo quem seja.....

   Os seguranças entram rapidamente apontam armas com sedativos..

- Pare ai mesmo- diz um segurança qualquer de óculos escuro de policia
- Vai atirar? Não antes de eu matá-lo..- digo.

  De repente um caco de vidro frio toca meu pescoço....

- Te dou o direito de decidir o que vai ser :  A sua completa agonia e dor que nenhum demônio será capaz de reproduzir ou você o soltar e ainda, continuar vivendo sua vida de merda. - Diz uma voz feminina.
- Ahh- me assusto
- O que vai ser?  Solta o Lipe!!! - Ela começa a cortar.
- Quem é você? - pergunto
- Sua maior maldição.
- Eu solto.....

  No mesmo instante, sinto uma dor que nunca senti e um corte no meu pulso......Quem será???Não vou me meter, apenas uma espécie de anjo ou demônio faria tal coisa.....

  Graças à esse evento me amarraram numa cama. E não demorou pra me transformarem em cobaia. Depois de um tempo, com umas drogas novas, conseguia andar por ai sem querer matar ou molestar (porque virei uma molestadora ). A única coisa que fiz durante o uso desses remédios foi queimar a igreja porque queriam que matassem mulheres por mostrarem o rosto. Fora isso, fui "normal".

  Um dia , dia depois de uns meses e uma semana antes de fazer 15 anos, uma mancha do meu passado volta. Aquele que me levou à queda livre......Ele estava numa mesa de visita, no dia de  visita, sentado meio nervoso.

- Oi, Clara- disse ele
- O....que....você....faz.....aqui?
-  Ver você, te amo, sabia?
- Depois de me humilhar, de me fazer escrava e escória.....ama.
- Precisava fazer pelo dinheiro....
- Eu te ajudaria se precisasse. Faria tudo, menos aquilo.....
- Clara, minha mãe ia morrer...
- Ela era velha, velhos morrem.Morreu depois ne, bem feito, se me ouvisse..
- Desculpa...
- Não existe isso.
- Penso tanto em você....
- Ei
- O que?

  Dou um soco que fez seu nariz sangrar, o segurança ia vindo...

- Vou agora........aquilo foi o estopim, o resto, você não sabe nem a metade....

  Saio à passos massivos, buscando minha medicação. Várias aliás, pílulas......

Nenhum comentário:

Postar um comentário