sexta-feira, 18 de julho de 2014

Sol e a árvore

  16 horas, numa rodovia do sul do país, andava ela com os sapatos na mão. Era uma moça bela, tinha por volta de 1,65, peitos medianos, cintura bastante fina graças à exercícios e espartilhos,as pernas belas graças a caminhadas assim. Estava satisfeita, tinha acabado de fazer um bom programa, ganhou o bastante para pagar as contas. Ela usava apenas uma meia calça preta até os joelhos, uma saia que ia até a metade da coxa, porêm era leve e a qualquer vento, subia. Usava uma blusa simples e por baixo um soutien roxo. Estava bela.
   O pagamento foi ótimo, mas não dava transporte, ela escolhia assim, porque ganhava mais. Trabalhava como garçonete num posto de gasolina e morava numa cidade pequena. Tinha quase 3.000 habitantes. Ela não conseguia emprego porque os que ofereciam tinham a ver com a roça, não podia fazer por causa de um problema, da vez que quebrou um braço. O melhor que conseguiu foi garçonete e não pagava muito, para pagar suas contas. Então, virou prostituta.
  Nessa conseguiu ganhar bastante grana.  Sem contar os trabalhos de modelo que fez, como de um estúdio de tatuagem, fez tatuagens pra ele. Já fez filmes porno e etc. Ganhou bastante. Com isso talvez dê um jeito de ir embora.....
   O sol refletia uma sombra a sua frente, a de uma mulher bela e livre, o que na sombra de uma árvore nunca foi...Mesmo assim, nunca deixou de ser bela...
   Um carro para ao seu lado, ela entra, mais trabalho ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário