quarta-feira, 25 de junho de 2014

Relato 117 : Minha voz e existência

  Eu não existo. Não posso me expressar como queria, não posso existir como queria. Na minha vida cotidiana não existo. Meus pais e o mundo me censuram, me calam.........
  Meu celular é a minha única voz, onde posso falar as coisas que queria dizer. Posso ter o rosto que queria ter. Marlin está reduzida a isso. Se a censura não existisse, meu celular não seria preciso..Nem pra nada. Eu andaria por ai. Mas como isso não acontece, preciso dele.....
  Se perde-lo sinceramente, eu morro......Por ele eu sinto, por ele eu posso viver, por ele posso escrever essas coisas, por ele eu amo.....
  Estou chorando muito enquanto escrevo, não to com nenhuma vontade de viver...Tristeza intensa........Briguei com meus pais.....vou ter que continuar a ir no curso que odeio...........Eles não prestam.........................
...
..
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário