sábado, 5 de abril de 2014

Diário dos sonhos 011 : Cínica

  Esse sonho foi estranho e sinceramente não vejo nenhum sentido nele. Começou comigo no Senai, fazia uma prova e era uma prova difícil.  Não conseguia fazer direito e praticamente, a deixei em branco. O professor se levanta e recolhe manda entregar as provas. Depois disso ele diz umas coisas, tipo "Nós temos que avançar a matéria, pelo menos um pouco, com calma e ficar meio que "trotando", para que consigamos entender tudo." . A aula acaba e pego o ônibus de volta, só que ao invés de pegar a rota de sempre, ele toma outra e acaba num terminal que fica ao norte do principal. Lá, tudo parecia mais perigoso, sujo, e etc. Como não sabia nem pra onde ir dali, simplesmente fui a pé. Fui até o terminal principal e voltei pra casa. Logo em casa, fico curiosa pra saber onde fica tal terminal. Uso o Google Maps ( pois é, até nos sonhos o Google tá entrando) e pesquiso. Descubro que perto de lá, tem outro Senai, só que quando olho no Street View, aparece uma escola com fama de violenta. Enfim...
  No outro dia, volto no terminal. De lá saio errante, sem destino ou motivo. O céu está núblado e a cidade parece mais escura, apesar de ser dia. Entro em becos cheios de lojas, dos mais diversos tipos, só que a maioria era de roupas, umas novas, outras se brechó. Não entrei em nenhuma, eu só queria andar por aí. Lembro de entrar num prédio, iluminado à luz baixa e por isso, bastante escuro. As luzes tinham um tom que lembrava um amarelo, tipo , quando usamos velas. Saio de lá, ouço notícias de que alguém que de alguma forma, fazia parte de mim. E que os culpados eram os iluminatti, comigo eu pensava "Claro, só pode ter sido os iluminatti, alguém morre, tem que ser eles.(dizia sarcasticamente pra mim)" . Nesse sonho, apesar de eu andar por aí como menino, tinha algumas características femininas, como os seios, eram pequenos, como se eu tivesse começado a tomar os tais hormonios femininos. Quando percebi isso, lembrei que tinha que voltar pra casa, só que pensei comigo "E daí ?" e continuei por aí. Começa a chover de repente, para meio que brincar, corro por aí. Passo por um Largo da Alfândega (um lugar aqui de Floripa), maior e mais bonito. Ahh, um detalhe, todas as ruas e casas usavam da arquitetura antiga de Floripa..Via de longe alguns prédios, mas na parte do centro que eu tava, não tinha muitos. Enfim...Continuei correndo sem pra onde ir na chuva. Vejo o prédio do Ministério da Justiça e o olho..Saio e corro em direção a rodovia. Lá haviam duas moças também na chuva, que vão na minha direção. Uma delas, de calcinha rosa e camisa regata, muito bonita, de olhos verdes, cabelo castanho. Chega perto e coloca a mão dela no meu rosto e diz "Tadinho, ta tão frio, você está bem ?", eu respondo "Sim, eu também meio que queria isso" e ela "Ah" e sai, de costas pra mim diz "Eu também estou bem". E sentia que ela estava o oposto de mim. Enquanto eu estava praticamente doente, cheia de roupas, sujeira, frio, ela estava limpa, quente, saudável... Ela era justamente como sempre quis ser.......Enfim, o sonho acaba aqui...
  Essa rodovia não parecia normal, era como se ela fosse algum tipo de limite ao mundo selvagem. E se era, por que as moças sairam dele ? Ai pensei, ainda dentro do sonho, talvez precisem de algo na cidade. Enfim...Eu não entendi o sonho, mas pra mim, tem algo a ver com cinismo. Eu andava como um animal por aí. Sem me importar com nada. Como eu disse, eu só queria andar por aí...De qualquer maneira, não entendi o sonho.....

Nenhum comentário:

Postar um comentário