terça-feira, 4 de março de 2014

Relato 099 : Horizonte

  Se você me conhecer só pelas características externas (sexo, religião, sexualidade e etc) diria : " Menina, você não tem futuro". Pois é, eu sou eu. Eu tenho perspectiva e uma longe. Claro que talvez eu não passe de uma vendedora de instrumentos, ou garçonete de um pequeno bar que fica pensando em como ser feliz sem mentir. Tenho tudo pra não ter um futuro, assim como você, mas eu aguentaria viver assim. Você talvez não. Eu não ligaria em trabalhar pra comer numa feira, ou dormir na rua, inclusive penso direto nisso, afinal, nunca se sabe de nada. Eu exploraria cidade, talvez ficasse assistindo músicos de rua e de repente até ajudava eles. Faria cartazes tipo "O mundo vai acabar", "A guerra está próxima" e outras mensagens de paz. De dia seria legal, a noite seria ruim, porque sabe, é a hora da caça. Playboys incendiários, bêbados, skins, e etc, são o maior problema, sem contar ladrões e os drogados. Deve até ser por isso que alguns andam com cães. Enfim, sei lá, eu até me daria bem com isso. Talvez seja meu destino haha.
  O que me faz diferente (ou não) é a minha auto depreciação e pouco de humor (não recomendo isso). Enfim, eu imagino que nada muito ruim acontece comigo porque sempre penso no pior. Isso evitou muitos problemas. Tipo, eu quero sair de casa logo, o que pode dar errado é o fato de eu morar num lugar minúsculo, sem nada, nem um lugar onde dormir, basicamente num quarto sem cama e um colchão, com roupas num saco de lixo. Tudo o que vou ter vai ser um trabalho miserável e uma má noite de sono. De qualquer forma, mesmo sem nada, vou me empenhar em ter internet (kkkkk). Mal vou ter uma cama ou água, mas vou ter minha internet de 2 mega, como todo pobre tem. Eu rio dessa desgraça. Vou ser mais pobre que favelado. Bom, não vou precisar limpar muito a minha casa, sabe, vai ser cubículo. É bom rir da desgraça e de como tudo é ridículo, mas não ria muito, assim a piada perde a graça.
  Por ver o pior, eu evito ele e busco sempre a possível solução. O que eu digo é mais pra sei lá, jogar na sua cara que tudo é uma bosta ou sei lá, não sei porque escrevo isso. Acho que de repente, vai que alguém faz igual eu e se dá bem ? Eu duvido muito mas fazer o quê ? Voltando...Pra mim seria incrível ter uma casa comum, com uns dois quartos, e o resto da casa inteiro. Seria muito pra mim. Imagina, ter uma casinha assim ? Ia ser legal. O mais importante mesmo, é ter o Lipe comigo, sabe, ele me faz bem, quase um vício nele. Eu seria perfeitamente feliz vivendo com ele, numa casinha comum pintada de azul claro porque fica fofo, umas bikes pois não sabemos dirigir, um emprego comum porém bom, e quem sabe a gente consiga ter um playstation 2. Eu adoraria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário