sábado, 15 de março de 2014

Pílula de sentimentos

  Todos sabemos que vivemos em uma era em que nada tem valor, graças ao nível de decadência que chegamos. As pessoas não sentem nada, são vazias e perdidas. Para ganhar um certo poder, algumas pessoas resolveram vender sentimentos, pensamentos, direções e até mesmo personalidades. Assim, quem não sabe pra onde ir, simplesmente pode ir comprar isso.
As religiões, mídias de auto-estima, moda e etc, são coisas onde você supostamente acha seu caminho. Isso não acontece, não passa de uma ilusão bem feita. Porque apenas você encontra seu caminho. Ninguém faz isso por você. A maioria acha que não é capaz disso, mas é sim. Não consegue por medo, apenas. Por isso elas buscam essas coisas, é mais fácil pegar uma estrada já feita do que fazer a própria pra direção que quiser.
  Por causa de coisas assim, no futuro talvez tudo tenha chegado a um ponto que nem essas coisas satisfaçam as pessoas. Imagino as pessoas todas apáticas e praticamente mortas vagando na vida. Trabalhando incansávelmente pra comprar sentimentos em pílulas. Essas pílulas serão drogas que não causam danos ao corpo, apenas ativam as áreas que ativam as áreas do cérebro que produzam um sentimento. Como felicidade,ou amor. Não acho que iriam vender sentimentos "ruins", como tristeza. E talvez vire algo comum comprar essas pílulas e também as pessoas acabariam por colecionar, trocar e etc. Como os sentimentos são únicos, talvez existisse algo como "lucidez budista", "Charme de Marylin Monroe", "Selvageria de Iggy Pop", coisas assim e por isso talvez se tornassem colecionáveis.
  Voltando a falar das pílulas de tristeza, essas talvez fossem ilegais porque nesse estado pensamos. Se estamos tristes é porque algo está errado e pensamos muito se pudemos mudar isso. O uso das pílulas seria questionado e possivelmente alguém conseguiria sentir sem elas. Com isso talvez se formasse uma resistência. Como uma sociedade que não use-as. 
  Os usuários com certeza teriam inveja destes e por isso houvesse grande preconceito contra essa gente. As indústrias com isso talvez começassem a formular uma pílula chamada "Compre-me", essa causaria o vício e o ódio contra gente que não as usa. Guerras aconteceriam. A solução talvez fosse criar uma indústria que vendesse pílulas que anulassem as outras e nada mais, assim aos poucos as pessoas talvez mudassem. Sei lá..

É só um pensamento meio aleatório...

Nenhum comentário:

Postar um comentário