quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Relato 095 : Escola de bosta

  Eu sinceramente odeio estudar no Ildefonso Linhares, só não saio de lá porque sei das merdas que acontecem, então fica fácil suportar. Mas hoje foi um dia que mostrou um lado repugnante do ensino no Brasil.
  Fui pra aula pra ter apenas três aulas, até aí nada de novo. A primeira aula foi ocupada com votações pra líder da sala (do qual não concorri) e só, não fizemos nada. Até aí, algo comum, sempre acontece. A pior parte de todo o meu dia, não, de toda minha vida escolar, foi a segunda aula de biologia com uma professora ACT. Pra começar foi difícil achar a sala, inventaram de copiar um modelo americano e colocar uma sala pra cada matéria. Como está tudo mal sinalizado e os horários mudam sempre, muitos se perdem numa escola relativamente pequena. Eu não vi nenhuma vantagem nisso, sem contar que todas as salas são mal ventiladas. Logo que achamos a sala, a professora deu uma bronca em nós, como se estivéssemos matando aula, quando estávamos procurando a maldita sala. Ela nem sequer teve compreensão que a escola está uma bagunça. E não para aí. É normal os professores serem rígidos quando a sala é bagunçada, mas naquele momento a sala não estava. Estava tudo bem, todos atordoados querendo sair daquele lugar de merda.
  Na chamada ela brigava com quem respondia um "oi" ou "aqui", ela implicava com isso !!! Logo no começo já veio falando como se tivesse nosso respeito e etc, quando só havia medo de ter nossas notas na mão de uma louca daquela. A toda hora implicava com um aluno por bobagens, quando alguém ria (bem normal pra quem ta com cérebro fritando na sala), ela implicava. Um cara chamou ela de "tia" e ela o chamou de marginal. E depois veio dizer que gosta de se referir aos alunos de forma informal, como "nega", "nego". Muito hipócrita, um tipo de pessoa que se alguém matar, todo mundo comemora. Sem contar que segundo ela, a família dela descende da nobreza que fugiu durante a revolução francesa. Uma pena o velho Robespierre ter deixado escapar alguns. E depois veio com a paranóia de olhar as mãos das pessoas e dizer que está "alejada". Disse coisas sobre ficar sem andar por balançar uma cadeira, inclusive pegar câncer por isso. E o pior, ela falava sério. Ela fez questão de dizer que está feliz e com certeza nunca esteve. Alguém que precisa provar pros outros que está bem, não está bem. Ela disse ter uma família unida, é o que eu via no olhar dela era outra coisa. Por ser tão chata deve ter afastado muito a família e se eles falam com ela, é por muita pena e burrice sem limites. Disse que ama alguém e sinceramente, tenho pena dessa pessoa. Ela é o tipo de lixo que está abrangente em nossa sociedade. Disse não ter filhos por opção, mas eu duvido alguém querer que aquele DNA de merda se espalhe por aí. Eu pensei em morrer, desistir de estudar e etc, porque ela fica até agosto. Se alguém quiser matar ela, por favor, eu dou um MP4 do Rock In Rio com várias músicas.
  A aula que veio depois era a de inglês, com um professor mais gente que ela. Foi a primeira aula e teve as clássicas e desnecessárias apresentações. Depois desses cumprimentos falsos, cada um disse a perspectiva que teria na aula, a minha era de saber o básico. O resto disse coisas como "o inglês é língua universal e blablabla", "inglês é legal" e etc. Como é 3 ano do ensino médio, todos esperam que faça o vestibular. Então cada um disse o que faria. O interessante dessa parte foi ver como as pessoas são idiotas. Uma menina que mal escreve querendo ser jornalista. Outra que não entende as pessoas querendo ser psicóloga. E coisas assim....Eu ali vi, não há futuro. Quando chegou minha vez, eu disse que não sabia e realmente não sei, sinceramente não sei nem se vou viver até lá. Nem isso eu garanto...
  Hoje foi um dia que não precisava ter existido, eu já sabia que existiam pessoas de merda e já sabia que não havia futuro. Amanhã, eu não vou pra aula, hoje perdi todo ânimo (que era pouco) de ir...E sinceramente, nenhum país precisa de metro, de ônibus, de estrutura e etc. A porcaria desse lixo sem fim precisa de uma escola melhor, com professores que pelo menos consigam conversar com seus alunos, porque estamos formando um monte de pessoas de merda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário