domingo, 23 de fevereiro de 2014

Ela morreu...

  Era sábado na cidade selva e o dia estava nublado e com um ar triste. O cheiro de morte pairava o ar. Neste dia, Marcos chega no aeroporto depois de anos longe trabalhando num projeto arquitetônico na China e traindo sua mulher com prostituras chinesas. Apesar do tempo, ele pensava muito na família, se falavam pela internet e inclusive fazia isso com os dois filhos, com a mulher ele fazia algo mais picante.
  Do aeroporto Marcos não conseguia falar com ninguém, apesar de ter um bom sinal de internet. O pior que isso acontecia a dias e isso o preocupava muito, pois sem eles seria como perder tudo. O desespero tomava conta a cada tentativa de contato, então resolve usar o rastreador de telefone que tem. O primeiro a aparecer é seu filho Daniel que aparece em casa.
  Marcos chama um táxi e demora horas para chegar, graças ao trânsito da cidade-estado. Aquilo só o deixava assustado e cada vez pior. Como viu que ficaria muito tempo ali, sai e vai correndo pro prédio cinco estrelas que vive a família. Entre o prédio e a rua há um parque. Um lugar com cheiro de coco e de abandono. Nenhuma árvore ali tem vida, todas as flores morreram de secas, os corvos estavam por todo lado. De repente ouve gritos de socorro de uma moça..Que gritavam desesperadamente a toda voz. Soavam como se não houvesse amanhã. Marcos pega sua pequena faca e vai ver o que era. Ele entra entre as árvores mortas. O grito começa a enfraquecer, como se lhe houvessem cortado a garganta..Ele desce a colina e vê que a moça era sua filha que o encara com olhos azuis da lente que ela usava. Um olhar tipo "eu precisava de você e você não veio". O estrupador perguntou "Você é o pai ?", Marcos "Sim", estrupador "Por que demorou tanto podia salvar, de qualquer forma, posso ficar com o corpo ?", Marcos "Sim, mas cuide bem. Te deixo o meu dever a você ! O faça bem, homem de bem!". "Claro,  sogro" disse o estrupador.
   Marcos continuou indo pra casa, mas não corria. Demorou a chegar graças a isso. Passou na recepção e perguntou "Onde está a minha mulher ?", o recepcionista sonolento disse "Transando com uns dois caras pra um filme pornô hardcore." Marcos se enfurece em segundos "O que você disse ?", o recepcionista "Você não deixou nada além do apartamento. Nunca deixou sua mulher sair, ou estudar pelo menos, quando você sumiu e não deixou nem comida, só isso que ela pode fazer...". Marcos curiosamente se acalma e segue pelo elevador.
  O elevador tocava uma música calma sobre amor, dizia : "Amor é aceitar quem você ama do jeito que é, Do contrario só seram mentiras que acabaram com toda fé... " Aquilo incrivelmente o incomodava, ele nunca fez isso. Virou-se e olhou no espelho. Um homem elegante, honrado, com um relógio incrível, cabelo impecável e levemente grisalho, um homem de sucesso com uma família feliz.. Família ??? Feliz ???
  Ele chega ao andar dele e se depara com uma corredor branco com pegadas em sangue. As luzes falhavam e um som de como se alguém estivesse mexendo com facas. Apesar do medo, seguiu as pegadas, que para seu espanto, o levava pra casa que abandonou.
  Abriu a porta lentamente e viu uma moça extremamente linda. De olhos castanhos, boca grande, corpo esbelto. Ela vestia uma moletom branco e este havia manchas de sangue no lugar de um dos pulsos. A casa era toda branca e havia apenas um sofá e o resto estava jogado num canto como lixo. Havia muitas marcas de sangue no carpete branco. Marcos pergunta a moça "O que aconteceu ?", a moça responde "Todos sumiram e os que restaram ficaram pra oprimir...", Marcos "Mas, você vez isso ?", ela "Sim", Marcos "Essa é a minha casa, sabia disso, mocinha ?", ela "Era sua ? Estava abandonada a anos....Sem contar que desde que você sumiu, pai, isso deixou de ser lar..A minha irmã começou a namorar um cara que era super desrespeitoso com ela, ele praticamente a estrupava todo dia. Ela ficou calada e totalmente submissa a ele, e você apoiou. A mamãe virou uma porn star, ela enlouqueceu no álcool por se decepcionar comigo e com você. Ela simplesmente largou tudo, inclusive eu, pra fumar maconha, beber e fazer filmes pornô. Chegou a fazer alguns com animais. E eu estou aqui, sem ninguém, com essa pilha de lixo..Todos desse andar se foram por culpa da mãe. Ela filmou alguns filmes aqui.", Marcos "Daniel ?!! Filho ? É você ?", Ela "Eu era isso, agora sou Marie. Eu sempre fui, desde criança e você sempre me bateu por isso. Eu me escondi. Toda noite eu repetia meu nome pra não esquecer dele...", Marcos "Melhor parar com isso !! Trate de virar homem !! Tire essas roupas de mocinha !!! ", ela "Ok" e ela tira o casaco e se mostra nua.
  Ela parecia um anjo, o mais belo dos céus. Marcos não acreditava, a beleza era divina...por um instante desejou seu próprio filho. Marcos surpreso disse "Você é incrível !! Sei lá, parece uma espécie de anjo..Tem certeza que era Daniel ? Porque você é anjo !!", Marie coloca sua roupa de novo e diz "Talvez seja, talvez eu exista só pra te dizer que foi um merda.", Marcos sorri "É, talvez... Enfim, quer sair daqui ? Posso alugar um hotel pra ficarmos. Se quiser posso te ajudar a pegar suas coisas.", Marie "E por que eu deveria sair daqui ?" , Marcos "Por que é peri-" é interrompido por ela "Estamos num prédio cinco estrelas e esse andar só entra eu, vocês e os zeladores, que por sinal tem que consertar as luzes." , Marcos "Tá, mas pelo menos sabe onde está sua mãe ?", Marie "Na verdade não, desde que virou uma atriz pornô não nos falamos. Chegamos a brigar porque ela queria que eu fosse atriz também e eu não quis", Marcos "E o que quer ser ?", Marie "Não confio em você pra te contar...Aaa e sobre a mãe, existe um motel que sempre fazem filmes por lá...é o famoso rota 69..", Marcos "Eu acho melhor, eu ir", Marie "Bom mesmo, tomara que morra bem lentamente no caminho". Marcos se assusta, mas no fundo, sabe que merece.
  Está noite e a noite é onde as trevas encorajam até o santo a ser capeta. Tudo acontece a noite. Marcos anda um trecho a pé, mas pela grande insegurança resolve pegar um táxi. O taxista era um desses "simpatia", desses que falam muito. Logo que Marcos diz que está indo atrás da mulher num motel, o taxista diz,"Vixe, nada contra, mas acho que sua mulher trai. Vou até fazer a corrida de graça.", Marcos "Tudo bem, não precisa. E sabe, eu até mereço, praticamente a larguei sozinha." , o taxista pega algo escondido debaixo do banco e abre, dentro havia uma bebida "Pega, toma, pode pegar tudo.", Marcos "Por que isso ?", o taxista "Merecendo ou não, ser traído é sempre ruim...e beber ajuda..". Depois de alguns minutos chegam.
  O taxista "Chegamos, e boa sorte, vou te esperar.", Marcos "Obrigada por tudo...Pois bem, eu tenho que ir, vou tentar não demorar..".. O motel era grande e parecia ter muitas loucuras acontecendo. Ele chega na recepção e pergunta "Alguma Joan está fazendo filmes pornô por aqui ?", o recepcionista meio idoso responde "Só um grande entusiasta do pornô saberia dessa deusa gravando aqui..Por favor, entre , quarto 69 nos quartos VIP.", Marcos "Obrigada".
  Andando entre os corredores vermelhos, cheios de quadros com cenas de sexo, com mesinhas cheias de brinquedos sexuais...Chegando na parte VIP as coisas começam a ficar estranhas. Os quadros começavam a mostrar um sexo mais violento..Como pessoas transando cortando a cabeça do parceiro, com crianças sendo enforcadas e estrupadas com um sorriso no rosto. Também a pintura da parede mudava, se tornou mais escura, levemente vermelha. Se ouvia muitos gritos nessa sessão. Então, chega ao quarto 69. Ouviu a voz de sua mulher dizendo "Talvez mais um cara pra ficar algo mais forte de se ver. Eu não quero mais viver, então quero morrer da melhor forma possível e seria assim." De repente ouve passos em direção a porta e a fechadura se abrindo. Num pequeno instante uma voz abre uma porta e diz "venha ". Marcos entra sem ser visto. "Oi" disse Marie " Então, você veio atrás dela mesmo" continou, Marcos "Sim, e o que faz aqui ?", Marie "Impedir que estragua sua vida.", Marcos "Mas por que você faria isso ?", Marie "Porque ele (apontando pra um lado) me convenceu.", Marcos "Quem é ele ?", Marie "Meu namorado, ele se chama João.", João "Oi", Marcos "Oi, então você é o sortudo ?", João "Acho que sim, ela é meio doida pra me escolher.", Marie "Ahh que isso mo, você sabe que te amo" e sorri. Marcos "João, mas por que quer que ela me ajude ?", João "Porque talvez ter um pai seja bom pra ela e talvez seja bom ter um sogro também. Eu ainda acho que pode mudar, tentar de alguma forma, recuperar o tempo perdido.", Marie "Só ouvi ele porque eu amo ele e no fundo, queria você como pai. Mas discordo que você possa recuperar nosso tempo." , Marcos "Mas o que quer que eu faça ? Ela está prestes a se matar ali", Marie "Deixe-a de novo e cuide de mim. Sou sua filha, a única que resta.", Marcos "Mas eu a am--" é interrompido por Marie "Se amasse não abandonava e ela te largou também. Me deixou. Só queria que você voltasse e me amasse como sou. Sua filha. Vai me deixar como ela ?", Marcos "Não, vou tentar fazer o meu melhor por você, filha. Só que sinto algo por ela ainda, tenho que salvá-la. Mas prometo voltar por você, minha filha querida Marie.", Marie "Não sei se...(João coloca a mão em seu ombro como se disesse "Deixa")....Tá..você pode ir, só que por favor, volta pai ?", Marcos abraça ela e diz "Volto sim, filha."
  Ele abre a porta com uma confiança incrível. Com passos firmes e cabeça alta, caminha até a porta e a abre. Quando abre, sente um cheiro de sangue e os três caras se divertiam com o corpo morto de sua esposa. Discretamente pergunta ao diretor "Como ela morreu ?", o diretor "Ela é usuária de cocaína faz mais ou menos um ano. Hoje ela queria morrer porque não aguentava mais. Só fizemos o que ela pediu. Inclusive foi ela que escreveu o roteiro. Quer assistir ?" , Marcos "Não, obrigada, tenho que ir. Ainda preciso levar minha filha pra casa.", diretor "Tudo bem, compra o DVD, na boa mano.".
  Marcos se dirige ao quarto de Marie e diz "Vamos". Todos voltam pra casa pelo táxi do taxista legal. Já em casa, pela primeira vez Marie teve um pai e Marcos uma filha e João um sogro e todos descobriram o que era (em parte), uma família...

Nenhum comentário:

Postar um comentário