quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Relato 083 : Sobre as pessoas a minha volta...

  Ontem(28/01) foi um dia em que tudo que havia pensando sobre meus pais era verdade...Não são flores que se cheirem, não são drogas que se use ou seres que se mereça jogar fora seu tempo. O dia em si, foi normal. Acordei tarde porque tava calor, muito calor, tanto que você começava a suar sem ter feito nada. Então, levantei quando o sol é do inferno( Meio-dia). Minha mãe começava a fazer uns pães pra comer mais tarde. Perguntei a ela se tinha requeijão pra comer com mortadela (amo)..Ela disse que não e foi meio que insinuando "Por que você não compra ? Tem dinheiro."(E também WTF, só queria saber se tinha requeijão.) E eu tipo, não posso gastar porque quero muito uma guitarra.(De uma maneira que sonho que tenho, faço shows no sonho, e quando não to sonhando, fico estudando sobre...). Tenho certeza que não vou ganhar uma, por isso to juntando pra comprar. E também, a grana é minha, faço o que quiser.
  Nisso tive uma epifania, lembrei que ela sempre foi assim, uma controladora. Tanto nessa coisa de querer mandar na forma que gasto meu dinheiro, como querer mandar na forma que me visto, penso, ajo e etc. Tudo isso, com o fim de querer mostrar para as amigas pra sair de gabando, mostrar ser uma rainha (que de longe ela não é). Essa insanidade dela se mostra um pouco também, nas crenças dela, crer num deus que protege e blablabla. Ela não me respeita, nada do que faço, penso, gosto, para ela é sempre bobagem. E eu mereço respeito, faço por isso, já que sou aquela que os professores elogiam, aquela que tira notas boas sem estudar(sem colar), aquela que nunca cometeu nenhum crime, aquela que alguns chamam de anjo...Eu ao menos beijei ainda e tenho 17 anos. E olha que não sou freira, budista e nem nada.
   Claro, são coisinhas pequenas, mas dessas coisinhas se fazem aquela porcaria que chamam de convivência. Uma pessoa não gosta de você porque você a levou pra se divertir, porque você deu presentes e etc, ela gosta de você por coisas pequenas. Como não querer mandar nela o tempo todo. Somos animais, vulgares e idiotas, mas gostamos das pessoas dessa forma, subjetiva. Por causa desse ego, dessa falta de empatia, dessa insanidade, não gosto dela e acho que não devo confiar nela por isso.
   Quanto ao meu pai, vejo uma pessoa protetora dos que gosta e um inimigo para os que não gosta. E eu nunca me relacionei direito com ele...Não sei porquê, ou eu não sei admitir coisas que sinto, psicologos ajudam nisso ! Enfim, mas vejo uma pessoa que não evolui, que se incomoda por ver um gay na TV por exemplo. E vocês leitores fiéis (que duvido existam), sabem que me ferro por isso..Imagina, não me relaciono bem com ele e ai me torno a coisa mais odiada da sociedade. Sei que se contar que sou bissexual e transex, levo um soco rs.
  Enquanto, as outras pessoas da sociedade, são todas do tipo que não devo confiar. Desde intelectuais até marginais, nisso aí, meus julgamentos não mudaram.
  E nessas férias, vejo que nem falei com as minhas amigas, tenho a sensação que talvez só falassem comigo porque não tinham opção, o que acontece direto com o meu ser, então não me decepciono. E claro, também pode ser porque não conseguem falar, moram em lugares meio inóspitos. Acho que único que confio é o Lipe, ele é melhor namorado do mundo, só precisa de uma internet melhor( huashuas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário