segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Noite morta

  A noite escura, quase vem vida, toma a cidade. Se ouve apenas o som dos pássaros sujos que habitam os terrenos baldios, onde vez ou outra tem alguém alimentando seus vícios doentios. Logo estou aqui me sentindo sozinha de novo. A solidão me garante que valorize as boas companhias, que hoje não acompanharam-me esta noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário