segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Sobre discussões bobas....parte 1

  É simples dizer que algo tem culpa de tudo. As pessoas fazem isso muito. Na política, partidos de "esquerda" culpam partidos de "direita" de serem "fascistas", a "direita" culpa a "esquerda " de ser "comunista". "Inteligentes" culpam os "burros " de atrasar o avanço, "burros" culpam os "inteligentes" de não ajudar a todos a evoluir. Alguns são contra, outros à favor as biografias não autorizadas. Alguns criticavam mainstream, outros o underground . Essas são algumas das discussões que há por aí. No fim são todas tolas, pois ninguém chega a um consenso, apenas defendem o próprio lado sem se importar se esse caminho realmente é o melhor.
  As discussões das biografias não autorizadas por exemplo, a autorização de tal poderia ser opcional. Eu poderia ter o direito de autorizá-las ou não judicialmente. Já que se trata da vida privada e temos o direito de mostrar ou não. A proibição tiraria o direito de quem quer que as biografias não autorizadas sejam publicadas e a autorização total tiraria o direito de quem não quer elas por aí sem autorização prévia. Uma lei que só proibisse ou não tiraria o direito de individual de autorizar ou não tais biografias. A lei ideal seria relativista. O indivíduo poderia ter o direito de autorizar ou não.
   Essa briga política de direita e esquerda pra mim não tem sentido. No fim, não ajuda nada. Me pergunto se seguem de verdade os ideais que tanto defendem. Nada acaba sendo resolvido. Na política, pra mim, deveriam discutir o que é melhor pra todos. Não importando ideais e etc por trás. Afinal, a ideia inicial da sociedade é facilitar a sobrevivência do homem na natureza, portando a sociedade deveria buscar formas eficazes de fazer isso. Não ligo se pessoas deixam de trabalhar pra receber um Bolsa Família, por algum motivo não trabalham. Se por preguiça, que bom que um profissional desses não está trabalhando, imagine se esta é uma enfermeira, quanto estrago poderia causar. A sociedade mesmo com essa função de proteção, às vezes não cumpre o papel. Muitas pessoas vivem na marginalidade por causa do preconceito, das drogas e de dívidas (eu ainda acho que as pessoas fazem loucuras pra pagar dívidas) ainda por exemplo. Acho que deveria haver mais discussão sobre isso, não uma entre "dois lados"( entre aspas, porque sempre tem um terceiro ou um quarto....que é ignorado), mas uma que leve para uma boa solução. Que seria aquela que tirasse as pessoas da marginalidade se quiserem.
   Hoje se fala muito em "inteligentes", que ouvem sua própria música( que geralmente é metal ou rock mainstream do século passado, desconsideram qualidade), lêem muitos livros, odeiam funk e pagode, de bônus chamam a cultura deles de "vulgar". Se dizem pensar criticamente, falam de política, mas só repetem o que dizem os políticos, falam de filosofia de autoajuda(que não presta pra nada) e ainda se dizem cidadãos bons. O fato é que essa gente se acha muito. Uma música não é melhor que a outra. Pra mim o que diferencia é a sinceridade por trás, isso faz qualquer música bela. Sei que a beleza é relativa, mas se isso fosse considerado pelas pessoas evitaria muitos problemas. Essas pessoas "inteligentes" geralmente ouvem rock ou metal mainstream do século passado, só que desconsideram algumas bandas menores de qualidade . Não estou dizendo que o que faz sucesso é ruim e o underground é música, só que essa divisão é inútil. Música é música, fazendo sucesso ou não. Se os artistas que fazem sucesso não te agradam, não ouça, e se for criticar pelo menos escute e faça uma crítica construtiva. O mesmo vale pra artistas underground. Pessoas "inteligentes " lêem muitos livros, um grande mito. Do que adianta ler se não aprendeu nada do que leu, se não pôs em prática, discutiu sobre o que aprendeu ? Mesmo em livros considerados ruins se aprende algo. As pessoas lêem achando que devem concordar com tudo o que lêem, mas isso é uma grande mentira. Eu não gosto de autoajuda, posso ler discordando de tudo e achar mais argumentos contra. Esse é o ponto. A parte desses "gênios" acharem que a cultura do funk e pagode por exemplo é inferior, só mostra que faltaram as aulas de sociologia do ensino médio. Nenhuma cultura é melhor ou pior que a outra. Ela só é a expressão de um grupo. Se eles gostam muito de sexo, e daí ? O problema é deles. Esse preconceito só demonstra que esses que se intitulam "inteligentes" não são tudo isso que dizem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário