quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Relato 039 : A teoria da infelicidade passageira

  Só pra começar, este blog está indo mais longe do que eu pensava, tanto que chegam a me enviar algumas mensagens. Eu uso para divulgação dos posts o Google + (trabalhar no Google ia ser legal, por isso essa puxada de saco). É que lá percebi que ainda não tem tanta bobagem quanto o Facebook. E no Facebook nunca vi nada ser sério, mesmo. Já no Google + há bobagem também, como mensagens de auto-ajuda, algumas piadas sem graça, mas nada em excesso como no Facebook. Acredito que isso aconteça por não ser uma rede social tão popular e como quase todo mundo sabe, quanto mais popular mais bobo. Enfim, não quero entrar em detalhes sobre essa opinião minha sobre rede social, afinal este post tem outro objetivo.
  Como eu dizia, recebi mensagens falando o quão ruim seria pensar em suicídio. Algumas mensagens falavam para abrir meu coração pra deus e não diziam nada além disso. Acho isso desrespeito, pois se eu quiser doutrinada, eu vou atrás da religião e não o oposto. Além do mais, não quero ser dominada. Outras mensagens eram melhores e diziam algo útil. A maioria basicamente me disse que "A morte irá tirar toda a felicidade que um dia você poderá sentir." Poucas pessoas me disseram que "As pessoas que gostam de você, iram sofrer com a sua falta." Reparei algo em comum às duas mensagens : Ambas contém esperança. A primeira que um dia possui ser feliz, a segunda que alguém gosta de mim.
  São possibilidades, ou seja, um dia posso ser feliz e talvez gostem de mim ( isso eu sei que realmente ocorre). Posso dizer que me convenceu e me fez pensar um pouco mais. Afinal, a vida é um suicídio.  Pois, nela você sofre e muitas vezes sofre mais do que é feliz. No suicídio, o suicida procura um alívio para duas dores, ou seja, uma fuga da dor. E se você continua com vida e sofrendo, é muito pior do que morrer mesmo. Seria o mesmo que por a mão no fogo e mesmo a sua mão cozinhando, você mantê-la ali queimando. A esperança dessas pessoas é a de que a infelicidade passa, se é verdade, não sei. Não custa descobrir...

Nenhum comentário:

Postar um comentário