quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Relato 034 : Dias mortos

01/08/2013 10:44  :  A sensação é um mix de uma desesperança com um desânimo mortal. Não é insuportável, mas me incomoda. Dá uma certa agonia, quando você quer fazer algo mas não faz por falta de ânimo. Não tenho o que escrever sobre. Talvez eu demore uns dias para postar o resto. Acordei com o despertador que interrompeu um sonho muito bom que estava tendo. A parte que lembro do sonho havia um estádio e nele havia uma pessoa famosa que havia virado mulher (homem para mulher). Essa mulher era bem drag queen com seu vestido roxo brilhante, maquiagem roxa e outros adereços (Acho que está escrito errado) roxo. Era considerada polêmica essa transformação, o motivo não sei. Talvez por nada, a midia é bem sensacionalista, eu tenho uma ideia muito boa disso, talvez tenha passado pro sonho. Eu fui lá até ela, pedir um autógrafo. Quanto à minha aparência, jovem, saudável, bonita, com cabelos curtos (até um pouco abaixo do pescoço) e loiros. Eu estava de jeans, salto alto e uma blusa branca com uma estampa diferente. Na hora de receber o autógrafo dela, fomos tirar uma foto também. O engraçado que quando cheguei nela, todo mundo parece ter ficado com vontade de ter uma foto e o autógrafo dela. Depois disso, eu acho que ia para casa, que parecia ser um apartamento (instinto, não tenho certeza disso), só que fiquei sem saber o resto do sonho, por causa do despertador. Andei vendo umas coisas sobre preconceito contra ateus e GLBTs (Acho que a sigla tá errada) . Meus pais tem um certo preconceito contra mim, por ser ateia, mesmo. Não é tão forte esse preconceito a ponto de me expulsar de casa por isso. Tipo não gostam disso, mas "convivem", quando podem tentam falar umas coisas tipo pregação. Não o tempo todo. Quanto ao outro preconceito, contra GLBTs é mais forte. Primeiro acham que todos desse grupo são gay, o que é errado pois tem os bissexuais ( o que sou). Ontem minha mãe disse claramente que acha isso safadeza e "sem-vergonhisse". Meu pai quando pode solta uma pérola como " Deus criou o homem e a mulher, o que eles fazem é errado", apesar de ser contra ir para igreja para "falar com deus", típico deísta que ele não sabe que é. Os dois são bem claros "Não querem ter filhos gays". O meu irmão é hetero com certeza, tem até namoradinha, ele não admite isso, mas tem sim. Quanto a mim, não sabem que na verdade bissexual e trans. Não conto nada por causa da revolta que falam desse assunto, como se fosse algo muito errado. Engraçado, não vejo a mesma revolta quando propagandas políticas fora da época de eleição passam na tv, o que é crime. Outra coisa que me faz odiá-los : não sabem conversar e não gostam de ser contrariados. Diversas vezes meu pai vem irritado procurando coisas e me pergunta como se eu soubesse. Não posso dizer que não sei e não vou ajudar a procurar porque não tenho ideia de onde esteja a maldita coisa. Ele se irrita e diz que estou "respondendo", o que querem me ensinar com isso ? Ser uma criatura submissa que obedece sem levar seus superiores ? Me desculpem mas não vou ser isso. Muito do que eu sou, não sou por causa deles. A minha mãe também não gosta de ser contrariada. Igual quando falei do que o papa é um otimo ator. Ela disse "Nossa, me deu até dor no coração você dizer isso". Outra vez, meu celular caiu no chão sem querer e ela veio dizendo que foi de propósito e que não gosto da minha família pra fazer isso. Bem, não gosto deles mesmo, mas se não fosse esse celular, não seria possível nem ao menos ter esse blog, uns dos poucos lugares onde posso me expressar sem censura. Seria burrice minha acabar com isso. Ela começou a dizer um monte de coisa que não tinha nada a ver com celular. Ela não me ouvia, então comecei a gritar "mentirosa" para ela, bem alto. Ela continuou falando por um tempo, eu continuei gritando e logo depois ela se calou. Ganhei uma discussão da minha mãe, com certeza não sou normal. Ela sempre parte com gritos e tapas quando começa a perder a discussão, isso eu aguento. Quanto ao meu pai, primeiro que ele não gosta de mim, segundo é mais forte do que eu, terceiro que quando é para brigar ou destruir, coisas sou a pessoa mais criativa do mundo para isso, portanto evito brigas para não machucar ele. E também para se machucar por causa de mim, eu tenho que ter um mínimo de compaixão para dar esse prazer para eles, o que não tenho. Com meu pai fico em silêncio quando quer discutir comigo, como se não ligasse. Sério, não sou normal, ganhei discussões deles. Essse tema da sexualidade para eles é algo extremamente tabu. A reação deles nessa situação vai ser extrema. Acho que principalmente por parte do meu pai, já que não vai com a minha cara. A minha mãe talvez fique até com raiva. Por isso acredito que se quiser ser feliz devo sair de casa aos 18, pois já sou de maior e não tem como argumentarem contra. Se eu ficar com eles, com certeza vou me matar.

01/08/2013 23:56 : Sai à tarde com minha mãe, não quero entrar em detalhes. Não tenha sido desagradável, só não quero falar, ok ? Cheguei em casa às 17 e alguma coisa, eu não estava com vontade de falar, apesar de responder aos outros quando chamada. Deixei de falar com o meu namorado. Eu não me sentia bem para falar com ele, não queria fazer mal à ele. Fiquei acho que horas escutando música depois de chegar, apenas parei no momento em que jogava M.A.R.S ( um jogo de tiro). Talvez tenha sido um dia normal em que não quero falar com ninguém. Espero que meu namorado entenda...

02/08/2013 10:12 : Sonhei que estava na escola e ela era especial, uma escola de alto nível. Era a minha escola normal, a pública que só em sonho mesmo pra ser assim. Lembro de em um momento estar varrendo uma parte de lá. Veio um colega me chamando de gay por aquilo. Ele era gordo, loiro, estuda comigo de verdade. Ele dizia "Ninguém gosta de gay" e coisas do tipo. Depois eu acordei. Tinha que tirar sangue hoje. Foi rápido. O que aconteceu em casa, não quero contar, mas acredite...não foi nada grave. Quanto ao sonho, tudo parecia cinza. O céu estava nublado e tudo parecia triste. Acho que esse garoto represente um arquétipo, mesmo sendo real e existindo. A opinião dele sobre as coisas sempre foi parecida com a opinião da maioria. Quer dizer : ele é pagodeiro, gosta de futebol, odeia gays, é cristão e gordo. Típico brasileiro.

02/08/2013 12:34 : Eu havia saído às 11 para o dentista ver se preciso usar aparelho, vou precisar. Não ligo.

02/08/2013 14:00 : Não tenho mais o que escrever, além de que não tenho mais sentimentos, sinto isso. Olha a ironia : sentir que não sente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário