sexta-feira, 19 de julho de 2013

Cada vez mais acorrentados

  A humanidade tenha a tendência de se acorrentar cada vez mais. A cada dia se criam mais vicios, como drogas, séries de tv, jogos,  e outros milhões de objetos. O principal vício nosso é o dinheiro.Antes do capitalismo, trocavámos as coisas, 3 galinhas equivaliam a um porco e assim vai. Às vezes o vendedor não queria galinhas e então a transação não se realizava. Com a criação do dinheiro agora não precisamos mais trocar as 3 galinhas pelo porco e sim comprar o animal pagando o preço "equivalente". O dinheiro trouxe um poder : o de ter tudo. Com uma quantidade podemos comprar o quisermos com ele. O problema é que ele acaba e acabando e o poder some. Para resolver esse problema se criaram os créditos. Você empresta dinheiro e paga depois o que deve, talvez a ideia inicial fosse essa, mas não há lucro nisso. Por isso criaram os juros. Que são porcentagens escritas em letra pequena nas propagandas da tv. Essas porcentagens são capazes de aumentar o muito o preço da sua divida, chegando a ser muito maior que a quantidade que emprestou te obrigando a trabalhar mais para obter dinheiro pra pagar a divida. Te transformando em escravo.
  Infelizmente este não é nosso único vicio. Nos viciamos em coisas, ações e ideias, dentre as coisas podemos citar as séries de tv famosas, olhe os fãs assistem religiosamente cada episódio e sabem todas as falas. Entre as ações podemos citar o sexo, há viciados e muitos. E no meio das ideias podemos citar o fanatismo. Em tudo é claro há o vicio, que em certo ponto se assemelha aos vicios em drogas. Acredito que o motivo de se viciar seja o mesmo do qual muitos se viciam por drogas, buscam nela um efeito. Da mesma maneira que se toma café em busca de se manter acordado. No fanatismo a pessoa se apega forte graças ao medo e no fanatismo o mundo não parece o caos que é graças à sua visão unilateral sobre as coisas. Como por exemplo um fanático religioso, o mundo dele tudo tem duas causas principais : um deus(bom) e um diabo(mau). Quando no mundo real as causas de um acontecimento são muitas, o que o assusta e mostra a face do mundo que ele não gostaria de ver, por ser desagradável. Nos viciamos também graças ao nosso medo de mudança. A realidade é que não queremos que o mundo mude, por isso vemos algumas pessoas que vivem na mesma rotina à anos sem reclamar e às vezes sem nenhuma mudança por exemplo. Enquanto outras não aguentam a rotina, querem sempre algo novo. É dificil viver mudando, pois naturamente existe uma inércia, uma vontade de estar parado que é um atrito ao movimento, como o tempo e a dificuldade, podemos considerar outros tipos como a falta de vontade e capital (se envolvido).
  Como eu já disse, quando viciamos numa coisa é porque queremos que seu efeito inicial se repita, pois ele é agradável e nessa coisa há a garantia de que vai ocorrer de novo. De novo ao exemplo do café, ele tem o efeito de deixar a pessoa mais atenta e isso é um efeito garantido nele. Da mesma maneira, quando alguém se vicia em gibis, se vicia porque a leitura deste o agrada, lhe dá prazer. A busca pelo prazer é a essência do vicio, pois o vicio é como um caminho que temos certeza que vai nos levar pra onde queremos. É um  caminho já conhecido para as maçãs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário