domingo, 9 de junho de 2013

Relato 020 : Ter o seu coração nas mãos

  "Ter o coração nas mãos seu coração nas mãos" para mim significa conhecer uma pessoa, saber os desejos, dores e paixões. É um presente, quando alguém te diz coisas assim, basta nós valorizar-mos isso, pois isso é o que mantém amigos e amores, e até mesmo inimigos. Cada um de nós, se sente um pouco só por às vezes não ter alguém para compartilhar esse mundo nosso, que vive em nós mesmos, uma pessoa que se sente sozinha sente-se assim justamente por isso. A vida no fundo mesmo é solitária, cada um de nós é condenado à isso, mas com um amigo ou com alguém que se ame realmente, sinceramente e verdadeiramente (tem que ser assim se não tudo não passa de ilusão), a vida se torna melhor. Agora é como ter alguém com se contar e você vai se sentir na obrigação de retribuir, pois achar alguém com se possa gostar e "dar o coração" para ela não é fácil.
  Os inimigos podem ser justamente aqueles que te conhecem bem e não gostam de você, por esse motivo "dar o coração" para alguém pode ser perigoso , a pessoa pode pisar nele ou então guardá-lo com carinho. Essa incerteza leva muitos a não "dar o coração" para ninguém, assim ficam sem amigos, sem inimigos e sem amores. Eu penso que em coisas assim se deve arriscar, quem sabe gostam de você ou não você ganha alguém com quem competir, é bacana eu acho.
  O meu relacionamento com os meus pais é meio assim, quando tento me expressar e ser quem sou, isto é, "dar o meu coração" eles me reprimem. O assunto faculdade é um perfeito exemplo, só posso escolher entre as que dão dinheiro: engenharia, medicina, advocacia e recentemente tecnologia. Optei por tecnologia dentre todas essas opções, pois para fazer engenharia é preciso entender matemática, sou horrível em matemática, na medicina tem matemática, sangue e ter uma série de conhecimentos de medicamentos e suas reações no corpo, nesse caso sem chance né, odeio sangue (só nos filmes eu perdôo) e para lembrar cada conhecimento, sou uma lastima. Sobrou apenas advocacia, pela minha honra, não quero mais mentir, quando se é advogada é essencial. Na tecnologia tem menos matemática, eu acho, então vai.
  Enfim, só tenho isso, outro bom exemplo é aceitarem deixar eu fazer aula de violão, apenas se for um hobby não uma profissão, e se eu quisesse, iriam ser contra, a possibilidade de isso acontecer para eles é nula, aí me pergunto "E se eu quiser? Que problema tem?" Muitos episódios assim aconteceram na minha vida, graças a isso me sentia muito só. Nesses últimos meses fiz algumas amizades, e advinha: eles me apoiam e gostam de mim (eu acho srsrs), e vivem me incentivando a ser eu mesma e não o que querem que eu seja. Muito diferente de todos que havia conhecido antes......
  É estranho gostar de pessoas que estão longe, se sentir meio distante com quem se está tão perto. Eu sei que os meus pais querem o meu bem, mas tentar me impor uma maneira de me fazer me sentir bem, que não é minha, é fazer isso? Sabe, aqueles filmes em que o pai ou a mãe diz " Filha (o), eu me orgulho de você, não importa o que faça", eu seguro o choro, é difícil lembrar que não tenho isso. Vou tentar ser feliz, mesmo que não apóiem, mesmo que todos sejam contra, um belo exemplo foi Adolf Hitler, não apoio o que fez, o mundo é contra o que ele fez e na segunda guerra foram contra também, mas mesmo assim ele foi atrás do sonho dele e tentou ser feliz, era matando e torturando, porém era o que o fazia feliz. Era algo horrível, era ( e é), mas se ele era feliz assim com certeza vai ter alguém que amou impedi-lo de continuar, alguém que era feliz em de impedir os nazistas de cometer mais atrocidades.
  Se até Hitler procurou a felicidade, por que eu não? E no meu caso vou ter mais sucesso, já que não gosto de matar nem torturar, então tenho menos pessoas para me impedir. Eu amo música, filosofia e arte, vou me dedicar mais a isso e ser feliz né. Quanto a virar uma garota, tô pensando em me automedicar, o que é perigoso, vou tomar cuidado para evitar overdoses e etc.. Vou ler até a bula, a bula  ninguém lê a bula, não, eu vou ler, afinal a letra é bem grande, numa lupa. Num futuro meio distante coloco algumas fotos para vocês se satisfazerem( no sentido que quiserem).

"O medo é amigo da infelicidade."
                          Malin Rose Jones

Nenhum comentário:

Postar um comentário