quinta-feira, 13 de junho de 2013

Quinta-feira negra

  Antes de tudo, desculpe pelo título forte. Hoje pela manhã(13/06) o sol não nasceu, tudo que havia era uma grande nuvem negra que cobria o céu, acompanhada por uma leve neblina. Triste não? Para ajudar estava frio, a manhã foi deprimente por isso. Porém, eu tinha que sair, continuar em frente, antes eu saia por causa da responsabilidade, hoje por querer tentar ver o que o mundo reserva de novo, já que ele não para de mudar, diferentemente do que muitos conformistas pensam. Ontem na escola, meu velho companheiro, o fone de ouvido, estragou, agora eu teria que ouvir o mundo, que não é nada musical, principalmente pela manhã.
  Lá ia eu, sem fone de ouvido, mas para compensar, levei um livro. Os problemas de levar um livro são : o ônibus e a estrada. Todo morador de Floripa deve saber que as nossas ruas não são das melhores (nem perto disso chegam) e nem sempre se tem bancos suficientes para todos, então nem sempre é possível ler no ônibus, ou carinhosamente, no latão. Dizem que cheirar gasolina faz mal, e se vier da fumaça do ônibus como que se evita cheirar? Parando de respirar? E nas cidades cheias disso, como se evita? Aí que tá, não tem como, pois temos muitos carros nas cidades, pelo que sei a maioria ainda roda com gasolina, portanto nas cidades o cheiro de gasolina se espalha perto das ruas e o gás carbônico se torna mais concentrado na cidade. No final todas aquelas propagandas de "pare de fumar" e "não fume", não adiantaram muito se continuamos respirar poluentes. Claro que no cigarro tem mais, porém mesmo que você não fume, na cidade você consegue respirar muitos poluentes sem precisar pagar nada. Eu nem digo que consegui fazer todo o trajeto de ônibus, mas sim sobrevivi a todo trajeto. O barulho do trânsito, as conversas mais toscas que existem, a poluição, sem contar a demora, e tantos outros problemas que um fone de ouvido consegue resolver.
  Peguei o latão cedo e mesmo assim cheguei quase em cima da hora. Bem, mesmo assim tive um pouco se sorte, a professora demorou um pouco à chegar e resolvi pegar o livro. Até que uma garota ( explico melhor sobre ela depois) veio me cumprimentar, algo normal para vocês humanos, porém nós mutantes nem sempre dispomos desse simples gesto vindo de qualquer um. Na minha vida, vocês não tem noção o quanto é raro, alguém se mexer para me cumprimentar e muito menos dar um beijo na bochecha. Pois bem, ela fez tudo isso e ainda deu a bochecha dela para eu beijar, vocês devem estar pensando "Poxa, ela só está te cumprimentando, o que há de mais?", é que o simples fato dela fazer isso, se mexer para falar comigo, nem que seja apenas um oi, para mim significa que aquela pessoa gastou energia comigo para me cumprimentar, já é muito para mim. A aula não foi chata, chato foi o transporte até lá, isso é o que é mais frustrante.
  No recreio, como num sonho que tive, comprei pão de queijo e café, tudo por 3 reais! Não tem nada de melhor que isso, ninguém consegue ficar triste. Depois teve uma palestra (me desculpem mas não estou a fim explicar sobre o que foi.)  Tive um pouco de tédio lá, nada patológico.
  Na aula, nada de interessante o suficiente para parar aqui, no blog, depois da aula fui comprar um fone de ouvido novo, no caminho tinha um cara budista (ou seria um hindu), enfim ele me ofereceu uns pequenos livros e comprei, mesmo não ter dito que estava vendendo, porém eu só podia levar um se doasse dinheiro, enfim fiz a doação (não vou dizer o valor, mas não foi muito) e levei um sobre o karma, ainda não li, acho um assunto interessante. Entre todas as religiões, acho o budismo a mais interessante, pois faz o indivíduo buscar a felicidade, diferente de algumas religiões que praticamente isolam o indivíduo do resto do mundo, já no budismo não, eles buscam a sabedoria. Vou pesquisar mais sobre essas idéias dos budistas, sobre consciência ,meditações, talvez até algo a mais. Do contrário que pensam, não vou virar budista. Depois disso tudo, fui comprar os fones de ouvido e fui pegar o "latão" para casa.
  Chegando no bairro, fui comer o lanche de todo trabalhador que recebe um pequeno valor de vale alimentação, a coxinha, já para acostumar. O que quero mostrar, mesmo que o dia não comece bem, você pode melhorá-lo fazendo o gosta, não que eu tenha uma vida horrível, mas que se eu não fizesse aqueles pequenos agrados a mim, que no meu caso foi comprar o livro, o fone e comer a coxinha, claro tudo foi usado dinheiro, porém o que gastei só pode me garantir um prazer instantâneo, com exceção do livro que é conhecimento, o resto só me garantia uma felicidade meio que temporária. O fone de ouvido consigo me desligar um pouco do mundo, portanto deixando de me envolver tanto com ele assim, a coxinha só supriu uma necessidade básica, comer. Mesmo assim, me fez sentir melhor, da mesma forma acontece com o fumante, que sente prazer em fumar, mesmo que esse prazer dure apenas naquele momento. Talvez algo real, seja melhor. Em vez de escutar música no fone, nada contra, mas escutar o mundo é muito bom, o problema é que é preciso envolvimento do resto do corpo, porque se não nada estaria fazendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário