terça-feira, 25 de junho de 2013

Contra o passe livre...agora

  Não estou querendo dizer que o passe-livre não é importante, mas estou dizendo que agora é até mesmo tolo aplicar. A situação da frota de ônibus ainda continua horrível e essas latas velhas vão ficar lotadas, principalmente nas altas dos combustíveis. E as pessoas amam coisas de "graça", na verdade é pago com o imposto, esse de "graça" que eu coloquei significa "não saiu do meu bolso fisicamente". Emfim, imagine a seguinte situação : vamos supor que comida seja dada gratuitamente e ninguém é diabético ou tem alergia. Essa comida é dada todos os dias de graça, porém ela é limitada. Tem umas 12 unidades, a cada mês esse estoque é renovado. Quando era pago demorava a acabar, pois não eram todos que tinham a condição de pagar. E com essa capacidade de 12 unidades resolvem começar a oferecer gratuitamente essa comida. O público que era antes de uns 4 a 6, agora subiu para uns 13 a 16 em apenas um mês. Ou a capacidade aumenta ou alguns vão sempre ficar sem a comida. E quem antes comprava em outros lugares começa a pegar essa comida gratuita também.
  A situação é : os ônibus são pequenos, são velhos e por causa disso tem uma capacidade limitada. O passe-livre aumentará e muito o número de passageiros, principalmente nas altas dos combustíveis. O que vale mais a pena : pagar uma fortuna com gasolina, ipva, manutenção do carro e etc, ou não pagar nada no ônibus ? Eu acho muito mais importante até uma renovação da frota de ônibus antes do passe-livre, pois aumentaria a capacidade e assim a qualidade do transporte. E tem um detalhe que acho que quase ninguém lembrou , e quem trabalha no transporte, como vai ficar ? Porque não vai ter mais cobradores, pois não vai ter passagem para cobrar. Eles vão ficar desempregados ? Eu acho que para aplicar o passe-livre, antes é preciso um planejamento. Um bom político, na minha opnião, tem que ser um tenha a capacidade de perceber que apenas acatar o que o povo quer, às vezes não é o bastante para conseguir o que eles mesmos querem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário