sexta-feira, 3 de maio de 2013

Relato 007: Egoísmo ou amor próprio?

  Me sinto mal. Me sinto inconsciente, faço muitas coisas mecanicamente e isso é uma merda. Talvez todo esse papo de depressão tenha a ver com coragem, quer dizer a falta dela.
  Aquele sonho que tive do diabo ( postei aqui no blog, procurem, se interessados) , ele me disse que eu era melhor do que eu imaginava.O diabo me disse isso, eu nunca tinha ouvido isso de ninguém antes, da criatura mais odiada do mundo eu ouvi.
  Quando acordei daquele sonho, eu me sentia bem, motivada, como nunca. A fonte da minha depressão talvez seja externa, não tenho muitos problemas, a não de ser um pouco altruísta.
  Essa coisa de respeitar demais, ajudar demais, pensar demais, nos outros, tenha me deprimido. Eu esperava algo em troca, não recebendo nada, me senti mal.
  Agora eu sei, tudo tem um limite. Não é egoísmo de vez em pensar em mim mesma, mesmo eu sendo anti-social do jeito que sou, levo em conta as pessoas, seus sentimentos, pensamentos e sonhos, tento compreendê-las e o oposto normalmente não ocorre.
  Eu acho também que tudo isso, de me esquecer, talvez seja o meu maior mau.

  Tem uma frase que o Luiz Felipe Pondé retirou de um anúncio islandês de uma grife e colocou no livro Guia Politicamente Incorreto da Filosofia, ela ilustra bem tudo isso que escrevi.

" Respeite a natureza, mas não garantias de que ela o respeitará de volta."
PROPAGANDA DA GRIFE DE ROUPA ISLANDESA 66° NORTH. REYKJAVÍK, ISLÂNDIA, 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário