terça-feira, 28 de maio de 2013

Como a vida surge.....instantânea

  A milhares e milhares de anos a vida surgia no mundo. E para que um ser começasse a pensar foram necessários outros milhares de anos. Esse ser começou a desenvolver ferramentas para a sua sobrevivência e com o tempo essas ferramentas evoluíram, se tornaram tão práticas que algo como plantar se tornou extremamente prático e barato, já que não é preciso alguém forte para dirigir um trator, a criatura acabou ficando com tempo livre.
  O que ele iria fazer com aquele tempo livre? Ora, descansar, mas não. Existe uma frase que a maioria que trabalha sem parar deve conhecer ou aplicá-la como desculpa, "O tempo é dinheiro!", e graças a essa frase, a criatura deixa de fazer muitas coisas na vida, porque tem medo de, viver. Máquinas foram criadas com o intuito das ferramentas : ajudar. Só que diferentemente das ferramentas "normais", elas eram mais rápidas e faziam todo um processo de produção de tecidos , por exemplo, produzir mais que diversas costureiras manuais juntas. Agora era possível ter aquele tempo livre e ainda conseguir produtividade. "E agora, o que iremos fazer com tanto tempo sem fazer nada? Trabalhar mais? Ou espera.......me divertir!!" assim pensa o homem moderno. Para se divertir, foi criado o entretenimento, que não é nada mais nada menos que a arte de matar o tédio.
  Talvez trabalhar no que goste seja o próprio entretenimento remunerado, porém nem todos conseguem fazer o que gostam. Falta de oportunidade, falta de coragem, medo ou desaprovação externa e falta de autoconhecimento são apenas algumas causas disto. E o trabalhador infeliz, o que ele pode fazer ? Odiar trabalhar e amar aqueles dias que se divertem o tempo todo, porém isso precisa de dinheiro para se pagar. Pessoas assim sentem um certo vazio por não fazer o que amam e o entretenimento é a melhor saída, pois instantaneamente preenche essa lacuna vazia, só que isso só acontece na hora em que ocorre. Agora o indivíduo tem motivo para continuar trabalhando infeliz no emprego que não quer: ganhar dinheiro no fim do mês para comprar felicidade instantânea.
  No começo o sistema funciona, tudo ocorre bem até que ele começa a sentir que precisa de mais daquilo, o prazer instantâneo, para fazer a vida dele ter um sentido. A corrida do milhão começa, agora ele precisa trabalhar mais e mais para poder ficar rico e ter bastante dinheiro para comprar todo prazer, instantâneo, do mundo. A corrida geralmente é cega e por isso ele cai em armadilhas, algumas vezes sobrevive e frequentemente não consegue resistir à mortal armadilha. Quando se vê pobre, cheio de dívidas e com metade de seus amigos sem falar com ele por isso, se sente infeliz e frustrado. Busca refúgio nas drogas, no fanatismo religioso e às vezes consegue perceber que deveria ter perseguido os seus sonhos teria sido melhor. Antes comia apenas comida rápida, antes apenas escutava músicas de pouca duração, antes tinha 300 amigos que desconhece pela internet, antes bebia muito para parecer descolado, antes andava rápido para conseguir tempo, antes lia resumos de livros e não livros e tudo o que queria apenas tempo para ganhar mais dinheiro para comprar mais prazer instantâneo. Toda essa pressa para quê? Ganhar tempo para trabalhar? O tempo passa de um jeito ou de outro, porque não aproveitar?
  Sabe, o passado e o futuro não importam realmente. O presente é onde a glória é feita, no passado a glória foi feita e é como se fosse um troféu, o futuro é o que esperamos do que ainda vamos ser, é baseado no passado e no presente e portanto não passa de imaginação. Tudo o que importa é o presente e um objetivo único baseado nas suas paixões. Se o pequeno ser que ficou pobre e infeliz procurando soubesse disso ele teria sido feliz e mas não necessariamente rico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário