segunda-feira, 22 de abril de 2013

Uma dose do bem

É uma tentativa de poema , sejam legais comigo , não escrevo muito bem .Não sou poetisa , esse poema mostra a minha deficiência em criar algo com significado profundo, apenas coisas superficiais e mal escritas.Enfim o que vale é a intenção, certo? Ou não? Se decida logo!
_____________________________________

Todo dia preciso de duas doses
Complementares de bem e mau
Preciso procurar o bem
Pois ,o mal acho em menos de um segundo.

O bem é raro
Não tem preço e não pode ser vendido ou negociado ou roubado.
O mal é abundante e
vendido a preço de banana podre jogada no chão e esmagada.

O mal e o bem
estão em toda parte.
O mal é visível e o bem
não.
Em um coração
Por mais frio que seja
Nele bate
O bem e o mal
Por mais perverso e pecador
E atormentado seja esse coração
Nele bate
O bem e o mal
O bem invisível
O mal visível a todos.

O bem está em toda parte
Só não está visível e evidente
Como o mal.

Entre o bem
E o mal
Tenho que escolher
No bem uma inocência
E um otimismo infantil
Sem grandes recompensas
Constantemente enganada
E iludida.

No mal
Uma sensação de poder
A vida parece fácil
Num instante
Apenas nesse instante
A felicidade vulgar
E depois uma sensação
De culpa esmagadora
E sutil como um veneno.

A inocência do bem ou
A malícia do mal
Um equilíbrio entre os dois
ou uma bala na cabeça.

Fadas não existem
Liberdade também.

Marlin Rose Jones.

Nenhum comentário:

Postar um comentário