segunda-feira, 29 de abril de 2013

Aquela velha feia de morrer....

Um tempo jogado fora
Um tempo de culpa
Culpa injustificada
Não era culpa minha
Era algo natural.

E eu sabia disso
É o que mais me confunde
E me droga
E infelizmente
Nem pesadelos
E sonhos me trazem a noite.

Nas ruas ando
Devagar
Pois a âncora da culpa
Me atrasa
Não tenho culpa
É apenas a realidade.

A realidade é
Seca, infeliz,
Maldosa, feia de morrer.
Uma velha viúva
Amargurada
Fumando um cigarro barato
Esperando para que você sonhe
Para acabar com seu sonho
Quando ela consegue
Ela mostra seu sorriso
De dentadura paga à prestação
60 meses sem juros.

Algum dia
Não hoje
Mas algum dia
Espero que essa velha
Me mostre algo bom
E real
Neste mundo
Obeso de problemas
E anorexico de soluções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário